Epidemiologia do AVC

  • Epidemiologia do AVC

A epidemiologia do AVC é a ciência que estuda o processo saúde-doença em coletividades humanas, analisando a distribuição e os fatores determinantes das doenças, danos á saúde e eventos associados à saúde coletiva, propondo medidas específicas de prevenção, controle ou erradicação das doenças, fornecendo indicadores que sirvam de suporte ao planeamento, administração e avaliação das acções de saúde . Em 1973 a Associação Internacional de Epidemiologia (IEA) definiu epidemiologia como “estudo dos fatores que determinam a frequência e a distribuição das doenças nas coletividades humanas”. A epidemiologia debruça-se sobre os problemas de saúde em grupos de pessoas e os seus principais objetivos são (Achutti et al, 2003; Rouquayrol, 2003)

  • Descrever a distribuição e magnitude dos problemas de saúde nas populações humanas;
  • Proporcionar dados essenciais para o planeamento, execução e avaliação das ações de prevenção, controle e tratamento das doenças, bem como estabelecer prioridades;
  • Identificar fatores etiológicos na génese das doenças.

Numa época em que a intervenção médica tende a ser cada vez mais baseada na evidência científica, é importante um bom conhecimento da epidemiologia do avc. Pode ser medida a importância destes para a sociedade e para o indivíduo de diversas formas: 1) determinar a taxa de mortalidade, 2) avaliar os custos hospitalares atribuíveis aos doentes com AVC, 3) medir a prevalência, 4) determinar a incidência de AVC, e 5) o prognóstico. A utilização de cada um destes meios depende dos objetivos para os quais se pretende a informação (Correia, 2006).

Atualmente existe informação sobre o AVC na população portuguesa e conhecem-se as consequências dessa doença, que demonstram que é urgente planear cuidados, prevenir, tratar, informar e formar quem trata e quem precisa ser tratado. Razões pelas quais a informação sobre AVC na população foi registada e transformada em conhecimento epidemiológico.

A própria heterogeneidade da incidência do AVC em Portugal, baseando-se a epidemiologia no princípio simples de que as doenças não ocorrem ao acaso, mas que obedecem a um padrão que reflete a causa que as originaram, depende de fatores epidemiológicos e demográficos.

A mortalidade e a incidência também surgem como dois indicadores importantes na definição da gravidade do problema, necessários para o planeamento da assistência em fase aguda, mas pouca informação nos fornecem sobre a verdadeira dimensão social do problema.

Partilha nas redes sociais
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •