Reabilitação no AVC

Reabilitação no AVC

Evidências de estudos clínicos sugerem que a intervenção precoce leva a uma melhoria dos outcomes físicos e funcionais, devendo ser iniciada logo que a condição dos doentes o permita.  Muitas das complicações imediatas do AVC (trombose venosa profunda, úlceras de pressão, contratura, obstipação e pneumonia de aspiração) estão relacionadas com a imobilidade, e assim, a mobilização é um componente fundamental da reabilitação precoce.

Embora a intensidade da terapia não esteja ainda claramente estabelecida, verificou- se uma associação entre o aumento da intensidade da reabilitação, especialmente do tempo dispendido a treinar as AVD, e a melhoria dos resultados funcionais.

A duração da reabilitação também ainda não está claramente definida, mas estudos sugerem que deve continuar quando necessário após a alta do hospital.  A terapia domiciliar e no hospital estão associados a melhorias funcionais adicionais. Serviços de apoio ao domicílio têm demonstrado contribuir para uma redução no tempo dispendido no hospital e melhoria no outcome a longo prazo.

Os primeiros três meses após o AVC são vistos como o período mais crítico, quando maior reabilitação pode ser conseguida.  Melhorias após os 3 meses também podem ser observadas.

A reabilitação no AVC – metódo ABR

O metódo ABR também conhecido como metódo de FAED recupera o SNC (Sistema Nervoso Central) de forma tão rápida que consegue na maioria das vezes logo na primeira hora de aplicação ganhos imediatos de sensibilidade e movimento. Como pode ser visto na declaração do familiar da vitima de AVC a partir do minuto 0.35 neste vídeo https://www.youtube.com/watch?v=35P8uIIj8ik (vídeo 1) onde o mesmo, afirma que recuperou mais em 2 consultas com o método de FAED (ABR) que em 8 meses de fisioterapia diária e intensiva. Nesse mesmo vídeo é possível ver no minuto 2.15 a paciente a declarar que o médico tinha lhe dito que nunca mais movimentava o braço e depois ela a movimentar o braço e ela a afirmar ter feito isso na 2º consulta. Movimentos que nunca tinha feito depois de ter o AVC, mesmo após 8 meses de fisioterapia diária.

A criação de novos circuitos neuronais é tão rápida que é possível ganhar movimentos perdidos e sensibilidade em poucas consultas.  Neste vídeo https://www.youtube.com/watch?v=i_jHgpp4gcE (vídeo 2) a mãe da menina que sofreu acidente vascular cerebral afirma no minuto 0:52 que a menina faz movimentos que nunca tinha feito, mesmo após 8 anos de fisioterapia, podendo ser visto o movimento de flexão dorsal posteriormente.


A recuperação de sensibilidade é também possível, mesmo quando o período de maior plasticidade neural já terminou. Como pode ser visto a partir do primeiro minuto neste vídeo https://www.youtube.com/watch?v=ONCQKpKN9Xo (vídeo 3) onde há um ganho na escala de sensibilidade de 0-10 de grau 1 para grau 5 em apenas 4 consultas e neste https://www.youtube.com/watch?v=NiSymUfMPng (vídeo 4) onde há um ganho de dois pontos na escala de 0-10 em duas consultas.

A capacidade do método ABR é tão grande e possui resultados tão assombrosos, que neste vídeo https://www.youtube.com/watch?v=x1ZEpiwUBIs (vídeo 5) ao minuto 2:55 o paciente afirma ter movimentos sem vontade própria e que logo após a aplicação sente conforto e que o movimento logo após, já era mais fluido.


Neste vídeo https://www.youtube.com/watch?v=wW3V_fMA1lE (vídeo 6) de um menino que teve paralisia cerebral pode ser visto o testemunho dos país da criança que afirmam que mesmo após 3 meses de tratamento intensivo onde gastaram mais de 18000 euros pouco ou nada ganharam e que agora após 10 consultas já ganhou flexão dorsal e movimentos nos membros superiores que antes nunca tinha tido.

Para ver muitos outros vídeos da reabilitação no avc visite o nosso canal https://www.youtube.com/user/imperiosaude ou a nossa pagina de testemunhos . http://www.acidentevascularcerebral.pt/testemunho-de-reabilitacao-de-avc/

 

Partilha nas redes sociais
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •