Reabilitação após AVC

Reabilitação após  AVC?

A reabilitação após AVC pretende capacitar os indivíduos com défice para melhorarem funções físicas, intelectuais, psicológicas e/ou sociais.     Compreende todo um programa durante o qual o doente progride para, ou mantém, o máximo grau de independência que é capaz.  De acordo com a National Stroke Association os dados sobre a reabilitação após AVC são:

  • 10% dos sobreviventes recuperam quase integralmente;
  • 25% recuperam com sequelas mínimas;
  • 40% apresentam    incapacidade    moderada    a    grave    que    necessita    de acompanhamento específico;
  • 10% necessitam de tratamento a longo prazo numa unidade especializada;
  • 15% morrem pouco depois do episódio;
  • 14% dos sobreviventes têm um segundo episódio ainda durante o 1º ano.

Através do processo de reabilitação o doente de AVC pode readquirir capacidades e também aprender novas formas de realizar determinadas tarefas e compensar por qualquer disfunção residual. Existe um forte consenso entre os especialistas que o elemento mais importante em qualquer programa de reabilitação é a prática directa, bem orientada e repetitiva.

 

O processo de reabilitação após AVC envolve seis parâmetros principais:

  1. Prevenção, reconhecimento e gestão das complicações e comorbilidades;
  1. Terapia para o máximo de independência;
  1. Facilitar ao máximo a capacidade do indivíduo e da família de lidar com a situação e se adaptarem;
  2. Prevenção do défice secundário através da promoção da reintegração social, incluindo o acompanhamento do regresso a casa, da família e actividades recreacionais e vocacionais;
  3. Reforço da qualidade de vida tendo em conta o défice residual;
  1. Prevenção de um segundo AVC ou outros eventos vasculares, como o enfarte agudo do miocárdio, que ocorrem mais frequentemente nesta população.

Logo que a situação clínica do doente se estabiliza é possível então começar a desenvolver esforços na sua recuperação funcional.  A primeira etapa concentra-se em promover a independência motora, dado que muitos deles se encontram seriamente limitados ou mesmo paralisados. Os doentes são solicitados a realizar todo um conjunto de exercícios amplos passivos ou activos com o objectivo de fortalecer os membros debilitados. Enfermeiros e terapeutas também apoiam o doente na realização de tarefas mais complexas, como lavar, vestir e usar o WC. Começar a readquirir a capacidade para realizar estas actividades da vida diária (AVD) representa o primeiro passo no sentido da independência funcional.

Para alguns doentes, a reabilitação constituirá um processo contínuo de aquisição, manutenção e aperfeiçoamento de capacidades e poderá envolver a participação de diferentes profissionais, com intervenção na comunidade durante meses ou anos após o Acidente Vascular Cerebral.

Exercicios para reabilitação após AVC – 1

reabilitação após avc

reabilitação do avc

Exercicios para reabilitação após AVC – 2

reabilitação após o AVC

reabilitação do AVC

Partilha nas redes sociais
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •