AVC hemorrágico

AVC hemorrágico

AVC hemorrágico ou acidente vascular cerebral hemorrágico se dá pelo comprometimento de alguma artéria cerebral.

Dizemos que o AVC é hemorrágico quando há o rompimento de um vaso cerebral, ocorrendo um sangramento (hemorragia) em algum ponto do sistema nervoso. A diferença do AVC hemorrágico para o AVC isquêmico é o que segundo decorre da obstrução de uma artéria, e não de seu rompimento.

A hemorragia pode acontecer no interior do tecido cerebral (AVC hemorrágico intraparenquimatoso), que é o mais comum e responsável por 15% de todos os casos de AVC. O sangramento também pode ocorrer perto da superfície cerebral, entre o cérebro e a meninge, conhecido como AVC hemorrágico subaracnóideo.

O AVC hemorrágico ( Acidente Vascular Cerebral) não é tão comum quanto o isquêmico, no entanto, o AVC hemorrágico pode causar a morte mais frequentemente do que acidentes vasculares cerebrais isquêmicos.


Causas do AVC hemorrágico

Um AVC hemorrágico intraparenquimatoso é comumente causado pela pressão alta crônica, já o subaracnóideo no geral é causado por uma ruptura de um aneurisma ou hipertensão descontrolada.

Outras causas de AVC hemorrágico incluem:

Ferimentos na cabeça ou no pescoço que resultam em danos aos vasos sanguíneos na cabeça ou no pescoço
Tratamento com radiação para câncer no pescoço ou cérebro
Angiopatia amiloide cerebral (uma doença degenerativa dos vasos sanguíneos)
Aterosclerose
Inflamação nos vasos sanguíneos, que podem se desenvolver a partir de doenças como sífilis, doença de Lyme, vasculite   e tuberculose
Distúrbios de coagulação do sangue, como a hemofilia
Arritmias cardíacas
Doenças das válvulas cardíacas, como prolapso da válvula mitral ou estenose de uma válvula cardíaca
Endocardite
Forame oval patente, que é um defeito cardíaco congênito
Distúrbios de coagulação do sangue
Vasculite (inflamação dos vasos sanguíneos)
Insuficiência cardíaca
Infarto agudo do miocárdio.

Os fatores de risco do AVC hemorrágico que você pode tratar ou alterar são:

Hipertensão
Fibrilação atrial
Diabetes
Tabagismo
Colesterol alto
Uso de álcool
Sobrepeso e obesidade
Sedentarismo.

Os fatores de risco AVC hemorrágico que você não pode mudar incluem:

Idade: o risco de AVC aumenta com a idade
Sexo: o AVC é mais comum em homens até os 75 anos de idade, quando ele passa a ser mais comum em mulheres. Isso acontece porque no geral as mulheres vivem mais, aumentando o risco com o passar dos anos
Histórico familiar: o risco de acidente vascular cerebral é maior se um pai, irmão, ou irmã teve um AVC
História de AVC.

Sintomas de AVC hemorrágico

Assim como o AVC isquêmico, os sintomas do AVC hemorrágico se caracterizam por uma perda neurológica súbita, tais como:

Dores de cabeça muito fortes, insuportáveis, numa pessoa sem histórico de dores de cabeça
Perda de força em um dos lados do corpo
Paralisia súbita de um dos lados do corpo, geralmente no braço ou perna. Quando a paralisia é parcial, é chamada paresia.  Se o paciente com AVC fica paralisado completamente de um lado, ele está hemiplégico. Nestas situações o metódo ARM é extremamente indicado, conseguindo-se normalmente uma excelente recuperação de movimento e sensibilidade no lado afetado
Se o AVC hemorrágico acontecer no hemisfério cerebral esquerdo, a alteração da fala é um sintoma muito precoce. A pessoa tem dificuldade para falar, seja por não conseguir articular a palavra (não fazer a boca se mexer) ou por não conseguir elaborar as palavras
Alterações visuais, perda parcial ou total do campo visual
Sintomas motores ou sensitivos, como dormência no rosto, mãos e pernas
Em alguns casos, podem acontecer episódios de sonolência ou coma.

 Tratamento do AVC hemorrágico

Após o tratamento de emergência para AVC hemorrágico, quando a condição se estabilizou, o tratamento se concentra na prevenção de outro AVC e acompanhamento das sequelas. Quando você tem um AVC hemorrágico, o suprimento de sangue e oxigênio a uma parte do seu cérebro é reduzido. Depois de cerca de quatro minutos sem sangue e oxigênio, as células cerebrais ficam danificadas e podem morrer. O corpo tenta restaurar sangue e oxigênio para as células por meio da ampliação de outros vasos sanguíneos (artérias), perto da área. Se o fornecimento de sangue não for restaurado, danos cerebrais permanentes geralmente ocorrem.

Quando as células do cérebro são danificadas ou morrem, as partes do corpo controladas por essas células podem não funcionar. A perda de função pode ser leve ou grave, temporária ou permanente. Isso depende de onde e como a maior parte do cérebro for danificada e estimulada posteriormente.

Cirurgia para AVC hemorrágico

O tratamento cirúrgico visa retirar o sangue de dentro do cérebro. Em alguns casos, coloca-se um cateter para avaliar a pressão dentro do crânio, que aumenta devido o inchaço do cérebro após o sangramento.

Tratamento do AVC hemorrágico

O método ABR recupera o SNC (Sistema Nervoso Central) de forma tão rápida que consegue na maioria das vezes logo na primeira hora de aplicação ganhos imediatos de sensibilidade e movimento. Como pode ser visto na declaração do familiar da vitima de AVC a partir do minuto 0.35 neste vídeo https://www.youtube.com/watch?v=35P8uIIj8ik (vídeo 1) onde o mesmo, afirma que recuperou mais em 2 consultas com o método de FAED que em 8 meses de fisioterapia diária e intensiva. Nesse mesmo vídeo é possível ver no minuto 2.15 a paciente a declarar que o médico tinha lhe dito que nunca mais movimentava o braço e depois ela a movimentar o braço e ela a afirmar ter feito isso na 2º consulta. Movimentos que nunca tinha feito depois de ter o AVC, mesmo após 8 meses de fisioterapia diária.

A criação de novos circuitos neuronais é tão rápida que é possível ganhar movimentos perdidos e sensibilidade em poucas consultas.
Neste vídeo https://www.youtube.com/watch?v=i_jHgpp4gcE (vídeo 2) a mãe da menina que sofreu acidente vascular cerebral afirma no minuto 0:52 que a menina faz movimentos que nunca tinha feito, mesmo após 8 anos de fisioterapia, podendo ser visto o movimento de flexão dorsal posteriormente.

A recuperação de sensibilidade é também possível, mesmo quando o período de maior plasticidade neural já terminou. Como pode ser visto a partir do primeiro minuto neste vídeo https://www.youtube.com/watch?v=ONCQKpKN9Xo (vídeo 3) onde há um ganho na escala de sensibilidade de 0-10 de grau 1 para grau 5 em apenas 4 consultas e neste https://www.youtube.com/watch?v=NiSymUfMPng (vídeo 4) onde há um ganho de dois pontos na escala de 0-10 em duas consultas.

A capacidade do método ABR é tão grande e possui resultados tão assombrosos, que neste vídeo https://www.youtube.com/watch?v=x1ZEpiwUBIs (vídeo 5) ao minuto 2:55 o paciente afirma ter movimentos sem vontade própria e que logo após a aplicação sente conforto e que o movimento logo após, já era mais fluido.

Neste vídeo https://www.youtube.com/watch?v=wW3V_fMA1lE (vídeo 6) de um menino que teve paralisia cerebral pode ser visto o testemunho dos país da criança que afirmam que mesmo após 3 meses de tratamento intensivo onde gastaram mais de 18000 euros pouco ou nada ganharam e que agora após 10 consultas já ganhou flexão dorsal e movimentos nos membros superiores que antes nunca tinha tido.

Partilha nas redes sociais
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •