AVC agudo

AVC Agudo

O AVC agudo caracteriza-se pelo início súbito de:

  • Fraqueza ou dormência em um lado do corpo
  • Confusão, dificuldade para falar ou entender
  • Dificuldade para ver com um ou com os dois olhos
  • Dificuldade para andar, tonturas ou incoordenação
  • Cefaleia intensa e súbita sem causa aparente.

A equipa médica deve :

1. Identificar data do início dos sintomas.

2. Identificar hora do início dos sintomas.

3. Aferição dos sinais vitais e glicemia capilar.

4. Verificar história de diabetes, epilepsia, demência (excluir delirium*) e dependência química (álcool**)

5. Aplicar escala de Cincinatti – pedir o paciente para dar um sorriso, levantar os braços e falar um frase   Um dos critérios de cima alterados é sugestivo de AVC

AVC agudo

Sinais do AVC agudo

*delirium: insuficiência cerebral reversível caracterizada por hipoatividade ou hiperatividade. Pode ser causado por infecções (pulmonar, urinária, intestinal); por distúrbios metabólicos (insuficiência renal aguda, hiponatremia) ou medicamentos (benzodiazepínicos, neurolépticos)

** a abstinência do álcool causa delirium tremens caracterizados por tremores, ansiedade, insônia, inquietação e alucinações. Costuma iniciar 6 horas após diminuição ou interrupção do uso de álcool.

A equipa médica deve também avaliar sinais vitais, glicemia capilar para afastar hipoglicemia, fazer exame neurológico sucinto e encaminhar o paciente .

No caso de AVC isquêmico, o paciente será avaliado para a possibilidade de trombólise endovenosa dentro de 4 a 5 horas do início dos sintomas. Portanto, quanto mais rápida é feita a transferência, melhor é o prognóstico do paciente. Em caso de hemorragia, estudo de vasos, avaliação do neurocirurgião e monitorização são necessárias. Idealmente, todos os pacientes internados por AVC de qualquer etiologia devem receber alta com investigação etiológica completa.

 

Partilha nas redes sociais
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •